MISERICÓRDIA: O Quinto Canteiro do Jardim do Amor



Iniciamos a construção do nosso jardim do amor, construindo o Canteiro do PERDÃO, e assim, logo em seguida o Canteiro da GRATIDÃO, pois ambos os sentimentos nos instigam a viver a prática do verdadeiro AMOR.

Isso porque, o perdão exige pureza de coração. 

Sim! Para que possamos perdoar, e, para que sejamos perdoados/as, precisamos amar o próximo, amar quem nos magoou e quem magoamos. 


Estou falando de um amor fraterno, que não guarda mágoa e que não julga. Um amor que perdoa e que busca o perdão.

Mas para que esse amor seja verdadeiro, precisamos ser gratos/as. Gratidão por vivermos a experiência do perdão. Gratidão pela oportunidade de perdoar e de sermos perdoados/as.

E nessa caminhada, isto é, no processo de construção dos Nove Canteiros do Jardim do Amor, inserimos o canteiro da FIDELIDADE.

Nesse canteiro plantamos sementes que nos proporcionam cultivar a sinceridade, a bondade, bem como, o perdão e a gratidão, tendo em vista a urgente necessidade de sermos perdoados por aquelas pessoas que em alguma situação fomos infiéis. De sermos gratos/as às pessoas que nos perdoaram mesmo quando lhes faltamos com a verdade.

E assim, continuando a reflexão, sentimos a necessidade de também cultivar a o Canteiro da COMPAIXÃO, pois a mesma nos proporciona viver práticas sinceras do verdadeiro amor, de fazer o bem sem olhar a quem, isto é, de fazer o bem pelo prazer de ver o outro feliz.

Como podemos observar, estamos organizando cada canteiro com sentimentos que nos emancipam, com uma necessidade real de transformação dos nossos pensamentos, palavras e ações.

Cada canteiro tem uma missão, uma intenção peculiar, mas ao mesmo tempo interagem entre si. São interlocutores da prática de Amor à Deus, à Vida e ao Próximo.

É nessa perspectiva que hoje vamos continuar a nossa obra. Vamos construir mais um canteiro. O Quinto Canteiro do Jardim do Amor: O canteiro da MISERICÓRDIA.

Pois bem, o exercício de viver sentimentos de misericórdia nos fortalece na prática do perdão, da gratidão, da fidelidade e da compaixão.

A misericórdia é o complemento da brandura, porque aquele que não for misericordioso não poderá ser brando, nem pacífico. Ela consiste no esquecimento e no perdão das ofensas. O ódio e o rancor denotam alma sem elevação e sem grandeza. O esquecimento das ofensas e próprio da alma elevada, que paira acima dos golpes que lhe possam desferir. Uma é sempre ansiosa, de sombria suscetibilidade e cheia de fel; a outra é calma, plena de mansidão e caridade.[1]

Um coração misericordioso se reconcilia com quem lhe magoou, procura viver em paz consigo mesmo/a e com as pessoas com as quais convive.

Um coração misericordioso não guarda raiva, nem mágoa e rancor. E ainda, não sente desejo de vingança.

Sabe por quê?

Porque vê nos atos de quem ofende uma fraqueza, que revidada com amor, isto é, com sentimento de misericórdia, fica enfraquecido. Ao enfraquecermos os maus pensamentos, as perversas palavras e as maldosas ações, fortalecemos o amor.

Sim, a misericórdia é irmã do perdão e filha do amor! Quando somos misericordiosos, perdoamos. E só assim, agradaremos a Deus.  

Quando Jesus diz: “Ide reconciliar-vos com o vosso irmão, antes de apresentardes a vossa oferenda no altar”, está ensinando que o sacrifício mais agradável ao Senhor é o que o homem faça do seu próprio ressentimento; que, antes de apresentar a Ele para ser perdoado é preciso haver perdoado e reparado os males que tenha feito a algum de seus irmãos. Só então a oferenda será aceita porque virá de um coração puro, isento e qualquer pensamento mau.[2]

Bem, se desejamos a nossa emancipação espiritual, precisamos compreender o sentido da misericórdia e vivermos a prática da reconciliação.

De que adianta pedir perdão da boca pra fora, se o coração permanece amargurado?

Então, que tal pararmos um pouquinho e começarmos a semear as sementes no Canteiro da Misericórdia? Que tal cultivar esse sentimento tão sublime?

Vamos semear muitas sementes! Vamos plantar LÍRIOS[3]. Gostou?

Para cada semente ou muda, vamos elevar o nosso pensamento à Deus e pedir força para que tenhamos coragem para viver os desafios que nos testam cotidianamente.

Vamos pensar nas pessoas, por quem clamamos a misericórdia de Deus, porque nos serviram de instrumentos para a prática do perdão, da gratidão, da fidelidade, da compaixão...

Hum! Não podemos nos esquecer que no decorrer da construção do Canteiro da Misericórdia, podemos nos esbarrar com situações que tentarão nos impedir de viver o sentimento misericordioso.

Essas situações precisam ser rompidas, pois constituem as ervas daninhas. Ervas que danificam os nossos pensamentos, as nossas palavras e ações.

São as ervas do egoísmo, da soberba, do julgamento, da fofoca e tantas outras que atravessam a nossa vida cotidiana, que por descuido podemos nos envenenar.

Essas ervas precisam ser arrancadas com muito cuidado. Sim! Com o cuidado de não sermos prepotentes.

Ao arrancarmos, por exemplo, a erva do julgamento, precisamos reconhecer que ao invés de julgar, precisamos ajudar. 


Isso porque, quem vivencia sentimentos misericordiosos não é presunçoso e nem ambicioso. Um coração misericordioso é amoroso e caridoso.

Pois bem, é nessa perspectiva que estamos organizando o nosso quinto canteiro, com sementes e mudas de lírio que representam a misericórdia.

Vamos cultivar a misericórdia por todas as pessoas, com as quais convivemos, e, que de alguma forma nos testam a paciência, o poder do perdão, da gratidão, da fidelidade, da compaixão...

Não importa o que nos fizeram ou o que fizemos à elas, o mais importante nesse momento é a tomada de consciência de que não faremos mais ninguém infeliz, e, que se alguém nos magoar, clamaremos misericórdia e pagaremos com o bem.

Sim, estamos aprendendo na construção do Jardim do Amor, que o bem anula sentimentos de maldade, de modo, que sublimes pensamentos podem ajudar na emancipação espiritual das pessoas do nosso convívio.

Quando agimos assim, vamos enfraquecendo as energias ruins e fortalecendo os bons fluídos.

O perdão, a gratidão, a fidelidade, a compaixão, a misericórdia... São sentimentos que fortalecem a interação de boas energias, e, consequentemente, afastam os maus pensamentos, as malditas palavras e as perversas ações.

Daí que, ao construirmos o canteiro da misericórdia fortaleceremos a nossa fé, seremos mais corajosos/as na superação dos desafios e, acima de tudo amaremos mais!

Sejamos misericordiosos! 

Ana Maria Louzada
Por Inspiração Divina 
________________________
[1] ESE, Capítulo X, Bem-Aventurados os que são Misericordioos, p. 202.[1] 
[2] ESE, Capítulo X, Bem-Aventurados os que são Misericordioos, p. 205.[1] 
[3] Ramalhetes desta flor simbolizam amizade estremecida. In: Toda a Beleza das Flores e os Seus Significados: www.tudoporemail.com.br

Acompanhe a construção dos Nove Canteiros do Jardim do Amor 
- CANTEIRO DA MISERICÓRDIA
- CANTEIRO DA OBEDIÊNCIA
- CANTEIRO DA BRANDURA
- CANTEIRO DA CORAGEM
- CANTEIRO DA ALEGRIA 

Inscreva-se no Blog e receba publicações em primeira mão!
Seja um membro do Blog!
Compartilhe com seus amigos e suas amigas... 

Você também pode gostar de ler... 

  

Comentários

Postagens mais visitadas

FIDELIDADE: O Terceiro Canteiro do Jardim do Amor

OBEDIÊNCIA: O Sexto Canteiro do Jardim do Amor

PACIÊNCIA, HUMILDADE E PERSEVERANÇA

OS NOVE CANTEIROS DO JARDIM DO AMOR